Opinião

Estudantes refletem sobre intolerância religiosa – Projeto Mil Razões Para Viver

No dia 06 deste mês o projeto: “Mil Razões Para Viver”, que acontece na Escola Tufi Dippe, trouxe a discussão sobre a intolerância religiosa. Os temas das discussões do projeto são sempre levantados pelos estudantes. A iniciativa destes trabalhos são do Centro Dom Helder de Acolhida e Capacitação de Jovens (CDHE) e do Centro dos Direitos Humanos (CDH).

O encontro iniciou com uma dinâmica relacionando o tempo que leva para que as pedras se transformem com as transformações culturais da humanidade. Como a pedra é trabalhada com condições do tempo e leva anos para se modificar, assim também são as diversas culturas, neste caso as culturas religiosas.

Depois de uma breve explanação sobre as diversas religiões: o Cristianismo e seus desdobramentos, o Espiritismo, o Islamismo, Budismo, Hinduísmo, Judaísmo, Religiões de Matriz Africana e Religiões de Matriz Indígena, refletimos a situação no Brasil a partir da filosofia Cristã e como esta cultura perpassa na história brasileira. Com todas as suas ambiguidades de relações de poder, guerra e paz e hierarquias. Nossa reflexão foi pautada também no texto: “Deus, uma palavra escorregadia”, da teóloga feminista da libertação, Ivone Gebara. O texto aponta como o uso da palavra “deus” está nas mais diversas colocações e com significados diferentes. De acordo com Ivone, “deus” se tornou uma expressão, uma linguagem que não tem mais nada a ver com o que é de fato.

Os estudantes fizeram diversas colocações na sua maioria com anseios de viver uma religiosidade que seja inclusiva e que não aponte para as pessoas, mas sim, que seja acolhedora. Eles também produziram desenhos de orixás para divulgar a atividade e no dia 06 explicaram seus desenhos e contaram a história da criação de acordo com a filosofia do candomblé.

 

Encerramento da SOUC em Joinville

Encerrou mais uma Semana de Oração Pela Unidade Cristã (SOUC 2017). Foram muitas as celebrações que fizeram o pedido da unidade entre as denominações e respeito as diversas manifestações de fé. Ontem (04), na Paróquia São Mateus da Igreja de Confissão Luterana no Brasil (IECLB), foi marcado o encerramento com uma celebração entre Luteranos e Católicos com a participação da Comissão Ecumênica de Joinville e o Centro Ecumênico de Estudos Bíblicos (CEBI).

As pessoas presentes receberam uma pedra no início da celebração e, em um profundo momento de reflexão foram convidadas a preencher uma cruz construída no chão da igreja, lembrando palavras que simbolizam o rompimento das relações, mas também, palavras que simbolizam a esperança. Os presentes também foram motivados a falar sobre compromissos que podem ser assumidos para promover a unidade. O dia de ceia na comunidade foi realizado em conjunto e emocionou as pessoas presentes.

Os encontros foram marcados com muita alegria e disposição para a vivência da partilha e a cada ano que passa vem se fortalecendo nas comunidades Católicas e Luteranas com a esperança de avançar na unidade e na reconciliação. No final da celebração foi preparado pela Paróquia São Mateus uma grande partilha.

Abertura da SOUC em Joinville – Ecumenismo

 

Da esquerda para a direita: Diácono Geraldo Rabelo (ICAR), Padre Sérgio Silva (ICAR), Pastor Leandro Hofstätter (IECLB), Pastor Marcos Aurélio Oliveira (IECLB) e Padre Marcos Araújo (ICAR).

Aconteceu ontem (28) na Paróquia Nossa Senhora da Imaculada Conceição, em Joinville a celebração de abertura da Semana de Oração pela Unidade Cristã (SOUC 2017). Católicos e Luteranos fizeram a vivência da unidade rezando o tema, “Reconciliação: é o amor de Deus que nos move” (2 Cor 5.14-20). Em Joinville a SOUC é promovida pela Comissão Ecumênica que realiza o seminário de preparação e organiza a abertura e o encerramento do evento. “O verdadeiro espírito é motivar para que as comunidades celebrem a unidade nas atividades do dia a dia”, explica Irma Kniess, Diretora do Centro dos Direitos Humanos de Joinville.

A SOUC deste ano celebra também os 500 anos da Reforma e nos inspira a observar quais são os muros que nos dividem e qual luz nos guia para a reconciliação. Durante a reflexão realizada pelo Pastor Leandro Hofstätter da Igreja de Confissão Luterana no Brasil (IECLB), após a leitura do Evangelho de Lc 15.11 – 24, sobre o “Filho Pródigo”, ele ressalta que reconciliar não é uma atitude fácil e que precisa ser feita de coração aberto. “Reconciliar é sentir compaixão, é correr ao encontro do outro”, completa. 

O encerramento da SOUC em Joinville será no dia 04, às 19 horas, na Paróquia São Mateus, na Avenida Santos Dumont.

Segue agenda:

Celebração Intermediária – Igreja Luterana (IECLB)

31/05 – 19h30 – Paróquia Cristo Redentor – Rua Jaú, 288 – Glória

Celebração do Centro Ecumênico de Estudos Bíblico (Cebi)

02/06 – 19h30 – Centro dos Direitos Humanos – Rua Dr. Plácido Olímpio de Oliviera, 660 – Bucarein

Celebração de Encerramento – Igreja Luterana (IECLB)

04/06 – 19 horas – Paróquia São Mateus – Avenida Santos Dumont, 274-350 – Santo Antônio

TODAS AS COMUNIDADES ESTÃO CONVIDADAS A PARTICIPAR – NA UNIDADE, COMISSÃO ECUMÊNICA DE JOINVILLE.

Agenda

agenda

Facebook